Prefeito Angelo Andreatta faz visita ao abrigo de cães de Quatro Barras

18 jan

O abrigo de cães foi licitado pelo ex-prefeito Loreno Tolardo e não está com acomodações adequadas para o bem estar animal

O prefeito de Quatro Barras, Angelo Andreatta , visitou na quinta-feira (12), juntamente com o secretário de Planejamento Urbano Marco Aurélio Burkner e a coordenadora geral de Meio Ambiente Cristiane Fortes, o abrigo de cães, administrado pela Comunidade Esperança, Resgate e Vida (CERV) presido pelo Pastor Manoel Xavier da Silva, localizado na comunidade Monte Alegre no município de Quatro Barras.

100_8613

Prefeito Angelo Andreatta (Lara-PMDB) e a expressão de preocupado com o que observou no abrigo…… 

Entenda a situação

Fortes visitou o abrigo na quarta-feira (4) e relatou uma [ série de irregularidades do não cumprimento do contrato. Levou ao conhecimento do gestor público que imediatamente convocou uma reunião na segunda-feira (9), onde o Pastor Manoel Xavier , responsável pelo abrigo e foi alertado sobre a possibilidade de reincidir o contrato da licitação firmado entre ele e o gestor anterior, caso não ocorresse o cumprimento das exigências determinadas pelo objeto licitado. Ou seja, a lista de procedimentos que até então não estava sendo respeitada no período de três meses em que os cães foram removidos do Canil Graciosa para esta outra localidade, (em 10 de outubro de 2016) deveriam ser colocado em prática. Principais necessidades imediatas para o cumprimento do contrato:

– Limpeza e higienização diária dos 22 canis de alvenaria,

– Tratamento médico veterinário aos cães com sarna e outros sintomas de doenças;

– Potes adequados e limpos para água e ração;

– maderite, papelão (outros) para forrar o piso gelado onde dormem os animais;

– separação dos cães bravos;

– microchipagem;

– área de solário e lazer que hoje não tem, os cães permanecem confinados dentro dos canis sem possibilidade de saírem;

– comunicado sobre a morte de cães (ítem que consta no contrato e que não está sendo respeitado-muitas mortes e nenhum alerta).

Visita ao abrigo

Em visita, o prefeito Angelo Andreatta observou “algum” progresso no cumprimento do contrato, no quesito higienização, porém alertou que ainda se faz necessário muitas adequações. Lara fez a cobrança para que o acompanhamento médico veterinário ocorra permanentemente para a melhoria da saúde dos animais. Visivelmente chocados, o grupo observou uma grande quantidade de cães doentes, com sarna e outros com muita secreção da mucosa e das glândulas vizinhas às pálpebras, sintoma de cinomose.

O piso úmido e outros molhados são propícios para doenças respiratórias, a necessidade de forrar o local coberto com estrado (maderite) é urgente.

O alerta foi acionado, se não ocorrer num curto prazo de tempo as melhorias exigidas conforme constam no contrato firmado entre o município e a instituição, o mesmo será reincidido.

Tribunal de Contas do Estado alerta a prefeitura de Quatro Barras por limite de gasto com folha de pagamento

14 jan

 asuiça.jpg

Quatro Barras a Suiça Brasileira, conforme intitulado pelo ex-prefeito Loreno Tolardo recebeu notificação do TCE, a cada R$ 1.000,00 recebido de impostos gasta-se R$ 560,00 com folha de pagamento.

Dos 399 municípios do Paraná, 16 municípios foram alertados pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-PR) com o alerta de despesa de pessoal. Cinco deles extrapolaram o limite de 54% da receita corrente líquida (RCL) com despesas de pessoal em 2016 e devem seguir as determinações constitucionais. Outros 11 Executivos municipais ultrapassaram 95% do limite de despesas nesse ano; e os respectivos Executivos estão sujeitos às vedações da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

A LRF estabelece (artigo 20, III, “a” e “b”) o teto de 54% e de 6% da RCL para os gastos com pessoal dos Poderes Executivo e Legislativo Municipal, respectivamente. Em 2016, as Câmaras de Julgamentos do Tribunal emitiram 156 alertas de gastos de pessoal, referentes a 131 municípios, em relação aos exercícios de 2014, 2015 e 2016.

Quatro Barras

O único município da Região Metropolitana de Curitiba é Quatro Barras a JÓIA RARA DO PARANÁ (dilapidada pelo ex-prefeito Tolardo), que aparece com 52,43% da RCL – receita corrente líquida com despesas de pessoal.

Para esse município, é vedado (parágrafo único do artigo 22 da LRF): concessão de vantagens, aumentos, reajuste ou adequações de remuneração a qualquer título; criação de cargo, emprego ou função; alteração de estrutura de carreira que implique aumento de despesa; provimento de cargo público, admissão ou contratação de pessoal, ressalvada reposição de aposentadoria ou falecimento de servidores nas áreas de educação, saúde e segurança; e contratação de hora extra, ressalvadas exceções constitucionais.

O município é alertado pelo Tribunal para que adeque seu gasto e sua despesa com pessoal para que não alcancem o limite de 54% da RCL. No município onde isso ocorre, a Constituição Federal estabelece (parágrafos 3º e 4º do artigo 169) que o poder Executivo deverá reduzir em, pelo menos, 20% os gastos com comissionados e funções de confiança.

Conforme cita o TCE, caso não seja suficiente para voltar ao limite, o município deverá exonerar os servidores não estáveis (ESTÁGIO PROBATÓRIO). Se, ainda assim, persistir a extrapolação, Nesse caso, o gestor terá dois quadrimestres para eliminar o excedente, sendo um terço no primeiro, adotando as medidas constitucionais.

Conforme declarou o prefeito Angelo Andreatta (Lara-PMDB), “o país passa por uma crise econômica difícil, o índice de desemprego afeta milhões de pessoas e herdar uma gestão com este grave problema, me deixa um tanto preocupado”. Andreatta enfatiza que o mês de janeiro tem uma baixa arrecadação, e a folha de pagamento com quase mil servidores efetivos causa temor. “É preciso muita cautela para que não venhamos a sofrer as consequências e as sanções que determinam a Lei, resultado de uma má gestão com pessoal. Este é um momento delicado onde o administrador precisa tomar cuidado para não responder pelo Crime de Improbidade Administrativa”, declara. E complementa, “é necessário reduzir imediatamente as despesas possíveis, haverá auditorias em todas as progressões funcionais que ocasionou um rombo nos cofres públicos – tudo o que foi feito para alavancar salários e que está fora da lei será revertido com punições severas aos mentores dos procedimentos e ressarcimento dos valores e o quadro de comissionados será o mínimo possível. É extremamente grave a situação da prefeitura de Quatro Barras”.

O vice-prefeito Roberto Adamoski recorda que ao encerrar o seu segundo mandato em dezembro de 2008 deixou a prefeitura com 518 servidores públicos efetivos, sendo que o percentual da folha de pagamento atingido era de 39,5% da arrecadação, incluindo os comissionados. Angelo Andreatta assumiu em 1º/01/17 com um quadro funcional de 949 servidores efetivos.

Durante os 8 anos que esteve administrando, Loreno Tolardo contratou 431 servidores efetivos e 180 comissionados. A folha de pagamento chegou até 56% da arrecadação municipal, ou seja, a cada R$ 10.000,00 que o município arrecada, R$ 5.600,00 seguia para pagar servidor público municipal.

Em dezembro de 2008, Roberto Adamoski exonerou 70 servidores comissionados ao concluir sua gestão. Tolardo em outubro de 2016 iniciou as exonerações com um quadro de 180 comissionados.

Prefeito

Efetivos

Comissionados

Ano

Percentual

ADAMOSKI

518

70

2008

39,5% da arrecadação

TOLARDO

949

180

2016

56% da arrecadação

LARA

949

32

2017

53,71% da arrecadação

Os municípios que ultrapassaram o limite legal já estão proibidos de receber transferências, obter garantia de outro ente e contratar operações de crédito.

A LRF determina que as prefeituras não podem gastar mais do que o equivalente a 54% da receita corrente líquida com folha de pagamento.

Desta forma a prefeitura de Quatro Barras está proibida de contratar servidores, sejam eles concursados ou comissionados, de 53,71% falta pouco para alcançar 54%.

Prefeitura gastou em aluguel de carros valor que daria para comprar 10 veículos

6 jan

Gastos exagerados na Prefeitura de Quatro Barras revoltam os moradores do município. O ex-prefeito Loreno Tolardo gastou em 2016, o valor de R$ 254.227,00 mil com o aluguel de 19 veículos que estavam locados para as secretarias municipais. Com este recurso, seria possível comprar cerca de 10 carros populares à vista, (com o desconto de 20% para órgão público)

“É um absurdo. Nossas farmácias básicas sem remédios, estradas esburacadas, faltou itens da merenda escolar e autoridade gasta R$ 254 mil para alugar carros para a prefeitura. É muito descaso com o povo, que não é palhaço”, desabafa um morador.

O ex-prefeito vendeu a frota que existia, entre veículos, máquinas e caminhões, através de leilão, com valores bem abaixo do mercado. E para suprir a ausência desses veículos, fez o contrato de locação com a empresa COTRANS. A mesma locadora de veículos que cedeu carros emprestados para cabos eleitorais de Quatro Barras na campanha da reeleição de Beto Richa em 2014.

Acompanhe o valor anual gasto com a locação de veículos:

2014- R$ 34.143,50

2015- R$ 196.164,08

2016- R$ 254.227,69

O prefeito eleito Angelo Andreatta (Lara-PMDB), reduziu a locação dos veículos, dos 19 carros locados para a prefeitura de Quatro Barras, com valor mensal de R$ 28.500,00 (custa R$ 1.500,00 cada locação), ele devolveu 11. A prefeitura ficou com apenas 08 até que o município possa adquirir frota própria. Os oito carros vão custar R$ 12.000,00 ao mês, economia de R$16.500,00. No ano o valor economizado será de R$ 198.000,00

Prefeito Lara nomeia equipe

3 jan

O prefeito Angelo Andreatta (Lara-PMDB), assinou decretos de nomeação dos colaboradores, profissionais contratados que farão parte dessa gestão.

Para ocupar as secretarias municipais ficou assim definido:

ADMINISTRAÇÃO, FAZENDA E ORÇAMENTO: Ana Paula da Rocha Pires (contabilista concursada pela prefeitura de Quatro Barras há 22 anos);

EDUCAÇÃO: Adriana de Araujo Tulio (pedagoga concursada há 20 anos pela prefeitura de Quatro Barras);

SAÚDE: Dra Cássia Paulina Borsari  (fisioterapeuta concursada há 16 anos pela prefeitura de Quatro Barras);

ESPORTE, LAZER, CULTURA e JUVENTUDE: Adriano de Lara (formado em Educação Física, concursado pela prefeitura há 8 anos);

PLANEJAMENTO URBANO E OBRAS: Marco Aurélio Bukner, (formado em Administração de Empresas);

INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA: Marco Aurélio Presa, (formação: Engenheiro Civil);

GOVERNO, INDUSTRIA, COMÉRCIO E TRABALHO: Leonardo Presa (tecnólogo em Gestor Público);

PROCURADOR GERAL: Jurandir Baptista Salgueiro

AÇÃO SOCIAL:_________

SEGURANÇA E ORDEM PÚBLICA:__________

AGRICULTURA, MEIO AMBIENTE E TURISMO: _____________

CURIOSIDADES:

  1. Andreatta  está iniciando seu mandato nomeando um total de 36 servidores, desses 12 são efetivos (concursados). Há de se recordar que no mês de junho de 2016, o jornal Metropolitans fez uma reportagem onde o Governo Tolardo tinha 180 servidores comissionados somando uma folha de pagamento(desses) no valor de R$ 838.137,00.

  2. Em dezembro de 2008 o então o gestor Roberto Adamoski deixou a prefeitura com 518 servidores públicos efetivos, sendo que o pecentual da folha de pagamento atingido era de 39,5% da arrecadação, incluindo os comissionados. Angelo Andreatta assumiu em 1º/01/17 com um quadro funcional de 949 servidores efetivos. Durante os 8 anos que esteve administrando, Loreno Tolardo contratou 431 servidores efetivos. Isso elevou a folha de pagamento para 53% da arrecadação municipal, ou seja, a cada R$ 1.000,00 que o município arrecada, R$ 530,00 vão para pagar servidor público municipal, isso sem contar os comissionados já exonerados, quando então a folha de pagamento atingiu 56% da arrecadação.

  3. Em dezembro de 2008, Roberto Adamoski exonerou 70 servidores comissionados ao concluir sua gestão. Tolardo em outubro de 2016 iniciou as exonerações com um quadro de 180 comissionados.

Reportagem com os nomes, função e salário do quadro funcional de comissionados do então prefeito Tolardo, em junho de 2016. 

COMISSIONADOS DA PREFEITURA DE QUATRO BARRAS

ACOMPANHE AS 36 NOMEAÇÕES DO PREFEITO ANGELO ANDREATTA

editais 1.jpg

3231.indd

3231.indd

3231.indd

COMISSIONADOS DA PREFEITURA DE QUATRO BARRAS

Vereadora recém-eleita compactua com grupo para formar oposição ao prefeito Angelo Andreatta de Quatro Barras

2 jan

 

Ontem (1º/1), aconteceu na Câmara de Quatro Barras a posse do prefeito, vice-prefeito e vereadores eleitos em outubro de 2016.

lixos

A cerimônia foi emocionante com discursos marcantes, onde os novos representantes do município pareciam estar no Programa da Xuxa…… quero agradecer meu pai, minha mãe, meu marido, minha mulher, meu tio, minha avó, meus filhos que fizeram isso e aquilo; os vereadores só não agradeceram os eleitores que os conduziram a este posto de representantes do Poder Legislativo.

Durante a semana que passou, os vereadores reeleitos haviam formado uma chapa para disputar a Mesa Diretiva da Câmara, no dia da posse. Conforme soubemos, seria composta da seguinte forma: presidente vereador GILSINHO, vice-presidente TOTO, 1ª secretária VÂNIA DE ARAÚJO, 2º secretário MAURINHO. Ontem após a posse, ocorreu a eleição para a votação da Mesa. A segunda chapa apresentada, era composta pelos vereadores da base do prefeito Lara, Juninho do Posto, Vaguinho, professor Leno e dr André. Ocorreu empate e o voto “minerva” foi do vereador Toto que desempatou votando na composição onde ele é o vice-presidente. 

Os reeleitos não convidaram os vereadores que se elegeram pelo partido do prefeito Lara para compo, porque o objetivo é manter na Câmara uma composição de enfrentamento de oposição ao prefeito. Os motivos a comunidade saberá, acompanhe:

Vereadores Gilsinho, Maurinho e Toto pressionaram de outubro a dezembro o prefeito Angelo Andreatta, exigindo cada um deles, 6 vagas de cargos comissionados na prefeitura municipal para acomodar familiares e cabos eleitorais.

Gilsinho exigia principalmente a vaga para sua esposa que durante a gestão Tolardo, ocupava uma cargo comissionado de R$4.900,00 – além dos cabos eleitorais que ele mantinha no governo anterior. O vereador Maurinho exigiu do prefeito Angelo, a vaga para manter seu irmão no cargo em comissão no valor de R$ 4.900 – dentre outros cargos onde ele mantinha também os cabos eleitorais. Com o vereador Toto não foi diferente, a namorada dele era pouco frequentadora da prefeitura, mas mantinha um cargo comissionado com o salário de R$ 6.200,00 – Totó ainda mantinha a irmã, cunhado, sobrinho e muitos cabos eleitorais somando 25 cargos comissionados para este ex-presidente da Câmara compactuar com as barbáries ocorridas nos últimos oito anos na gestão Tolardo.

O prefeito Lara não concordou com a pressão imposta pelos “macacos velhos”, ou seja, Andreatta não aceitou fazer a moeda de troca, e com isso eles agiram para manterem-se no Poder comandando da forma que desejarem os trabalhos da Câmara. Sendo os objetivos:

– formaram um grupo de oposição para “tentarem” atrapalhar os projetos do prefeito que necessitarem de votação no Legislativo;

– Gilsinho vai manter a folha de pagamento dos comissionados do vereador Toto, mencionou que não tem interesse em modificar o quadro funcional que atua há anos no Legislativo e que já estão em acordo, na próxima eleição Gilsinho será o vice e Toto volta para a presidência.

– conforme também declarado pelo vereador Gilsinho, as diárias de viagens vão continuar. Ele informou com exclusividade que vai estipular um numero de congressos e cursos, em torno de sete ou oito viagens por ano para cada parlamentar;

– há relatos de bastidores que, os vereadores de Quatro Barras que não obtiveram êxito na pressão de conseguirem acomodar seus familiares e cabos eleitorais na prefeitura de Quatro Barras, irão faze-lo na prefeitura do município vizinho, Campina Grande do Sul, onde o gestor eleito é primo do vereador Toto.

vania-araujo

Vereadora Vânia de Araujo faz parte da Mesa Diretiva de oposição ao prefeito Lara.

– importante informação também repassada sobre a novata vereadora Vânia Araújo. Ela estava pressionando o prefeito Angelo para acomodar seu pai o “Renatão” que foi assim como ela, servidor comissionado na gestão anterior. Não obtendo resposta afirmativa, buscou alinhavar o emprego para o “PAI” na prefeitura vizinha, onde o vereador Toto arrumou a vaga junto ao seu primo que é o administrador público;

– há também a informação de que, alem de beneficiar seu pai, Vânia também negociou um bom cargo comissionado para a irmã Vanessa, sem definição se ela irá compor o quado funcional de comissionados da Câmara ou prefeitura de Campina Grande do Sul ,vamos aguardar para confirmar se é verídico o “boato”;

– se proceder estas informações, a composição formada com apoio da novata vereadora Vânia foi por “interesse” em obter favorecimento a familiares, e não para somar os objetivos em prol a uma gestão de trabalhos voltados ao povo quatrobarrense. Dessa forma a tão sonhada “AUDITORIA” que deveria ser feita na Câmara Municipal foi adiada. Estaremos de plantão noticiando a comunidade de cada passo que ocorrer, o que não faltará em 2017 serão as notícias cabeludas.

Prefeito, vice-prefeito e 9 vereadores de Quatro Barras são diplomados

14 dez

 

100_8033

100_8011

100_8045.JPG

A cerimônia de diplomação dos eleitos de Quatro Barras ocorreu na quarta-feira (14), no Cartório Eleitoral da Comarca do município.

 

 

O prefeito e vereadores para o mandato 2017-2020 foram diplomados pela Justiça Eleitoral na tarde de quarta-feira, 14 de dezembro, em solenidade realizada às 15h no Cartório Eleitoral de Campina Grande do Sul.

O evento marcou a confirmação de que os vencedores nas urnas de outubro estão em dia com o Poder Judiciário. Na abertura dos trabalhos, a Juíza Eleitoral, Dra Adriana Benini proferiu um discurso referindo-se à responsabilidade que tem um bom gestor público. “Aquele que jamais permitirá que um morador do seu município, que necessite de uma lata de leite especial ou de um medicamento controlado, tenha que viabilizá-lo por intermédio da justiça”.

Após suas palavras, Dra Benini iniciou a entrega dos diplomas ao prefeito eleito, Angelo Andreatta (Lara-PMDB), ao vice-prefeito, Roberto Adamoski (PMDB) e aos nove vereadores.

Para o prefeito diplomado, Angelo Andreatta, “Este é um novo tempo. Ele conta com o apoio do vice, Roberto Adamoski (ex-prefeito por duas gestões) e dos nove vereadores para cumprir com o compromisso de melhorar a vida da população, principalmente nas áreas de saúde, de segurança e na infraestrutura do município”, reforçou.

Lara venceu as eleições municipais de 2016 com 6.082 votos, o equivalente a 50,61% dos votos válidos.

De acordo com o TRE, a diplomação é o ato pelo qual a Justiça Eleitoral atesta que o candidato foi efetivamente eleito pelo povo e, por isso, está apto a tomar posse no cargo. A cerimônia acontece após terminado o pleito, apurados os votos e passado o prazo de questionamento da validade das candidaturas.

100_8057

100_8044

…e olha só as filhas do Angelo e da Adriane, a Helena e Estela, em momento de descontração durante a diplomação do pai.

Moeda de troca entre prefeito e vereadores acabou em Quatro Barras

28 nov

Prefeito eleito Angelo Andreatta (PMDB) não compactua de acordos de bastidores que favoreçam vereadores

Candidato vitorioso nas eleições municipais deste ano para prefeito, com 6.082 votos ou seja, 50,61% dos votos válidos, Angelo Andreatta (Lara-PMDB 15) tem como vice-prefeito Roberto Adamoski.

O prefeito eleito Angelo Andreatta irá focar sua gestão no desenvolvimento humano e social, com pretensões numa administração voltada para a promoção de ações públicas mais expressivas nas áreas da Saúde, Educação, Assistência Social, priorizando setores vitais de Obras Públicas e Segurança.

O futuro administrador público ainda não tem exatamente os valores das dívidas que possivelmente herdará do atual gestor, a equipe de transição está se inteirando da realidade que ocorre no município de Quatro Barras.

O que de real existe é que, a folha de pagamento dos servidores públicos efetivos e comissionados que aos poucos estão sendo exonerados, ultrapassava os 56%. Sabe-se que mesmo dispensando os cargos em comissão, a folha de pagamento ficará acima de 55%, ultrapassando o percentual permitido por lei. Isso prova que a atual gestão perdeu o controle na questão salarial do funcionário publico efetivo, incompetência da administração municipal.

Há muita preocupação para o prefeito eleito, além de assumir um quadro efetivo com folha acima do permitido por lei, os empréstimos contraídos pelo atual gestor para pavimentação asfáltica, paisagismo e calçamento é outro ponto que afeta a nova gestão. Sem contar que ainda tem a má gestão do Governo Tolardo com o recurso liberado pelo Ministério do Turismo para a obra de pavimentação e paisagismo da Estrada Parque da Graciosa. O projeto original não foi cumprido, e as mudanças ocasionaram danos ambientais irreparáveis. Além dos aditivos absurdos, outro ponto crucial foi o fim dos programas de cunho turístico, como o Frango Colonial Caipira e o auxilio ao produtor rural. Outro fator de peso nesta condenação foi a autorização do atual prefeito permitindo a exploração de uma mineradora na comunidade Campininha (britador de pedras), de propriedade do Bibinho, (aquele envolvido nos escândalos da Assembleia Legislativa). Esta mineradora coloca acima de 60 caminhões diariamente com 40 toneladas ou mais sobre o pavimento asfáltico. Tudo isso ocasionou o desvirtuamento do Projeto Estrada Parque e foram os principais motivos para que o Ministério do Turismo reprovasse as contas do convênio. Estima-se que a dívida atualizada está em torno de R$ 37 milhões de reais. Prefeito e servidores públicos denunciados e investigados neste imbróglio poderão responder pelos crimes de improbidade administrativa, má gestão do dinheiro público e crime ambiental.

Lara vai assumir e arrumar a casa, e posteriormente iniciar um ciclo de novas obras e empreendimentos que vão de encontro à necessidade da população. Isso não será difícil, basta encerrar os contratos com as empresas terceirizadas, as quais sangram os cofres públicos municipais. A citar, as de locação de veículos, de transbordo de lixo, empresa de roçada, dentre outras que levam uma grandiosa fatia desse bolo.

Para melhor entendimento, acompanhem nos quadros os valores de empenhos nos últimos 4 anos referente as empresas citadas acima.

rodomaster

michelon

cotrans

Ética, competência e transparência

O prefeito eleito Lara e o vice Roberto Adamoski, fizeram uma dobradinha perfeita. A retidão no traçado político, é a marca da credibilidade e a confiança a eles depositados.

 A população quatrobarrense mesmo sabendo da boa conduta de ambos, aguardam ansiosos as providências da nova administração. E no que depender da nova gestão, a fase de nepotismo, cargos em comissão abundante, licitações com favorecimento na aquisição de medicamentos, plano de progressão funcional beneficiando apenas a classe dos recém concursados de nível superior, isso tudo precisa acabar.

A moeda de troca que existia entre os Poderes Executivo x Legislativo pertence ao passado. Impossível um vereador fiscalizar o prefeito tendo esposa, filhos e irmãos com cargos em comissão na prefeitura. Ele não colocará em risco seus familiares perderem os cargos com salários variando de R$ 4.500 a R$ 9.500 para denunciar atos de improbidade do Executivo.

Um novo ciclo de respeito ao dinheiro público e ao contribuinte inicia, a população confia que o prefeito Lara não compactuará de armações de bastidores ou beneficiará vereadores, aliás, em hipótese alguma ele deve pensar nisso, afinal a ele foi incumbida a tarefa de colocar “moralidade” onde há muito tempo deixou de existir.

O que deve ocorrer é o bom senso dos representantes do Poder Legislativo em Legislar conforme juramento e deixar de lado os privilégios de empregos públicos comissionados para parentes e cabos eleitorais.

Acolher apadrinhados de vereadores nas indicações de vagas do SINE e beneficiar eleitorado cortando fila nas vagas de creches acabaram. E fazer uso dos setores de saúde e infraestrutura para angariar votos pertence ao passado. A partir de 2017 inicia a fase de respeito ao povo do nosso município, aonde as pesquisas apontam que 52% das famílias tem renda de até dois salários mínimos nacionais.

A “família quatrobarrense” tem absoluta certeza de que escolheram certo,  Angelo Andreatta e Roberto Adamoski não vão decepcionar os filhos dessa terra.

Saiba exatamente o que faz o prefeito, o vice  e o vereador

Prefeito 
O prefeito é o chefe do Executivo municipal, ou seja, a principal autoridade política do município. Cabe a ele administrar os serviços públicos locais, decidindo onde serão aplicados os recursos provenientes dos impostos e dos repasses do estado e da União, quais obras devem ser executadas e programas a serem implantados. Também é função do prefeito sancionar e revogar leis, vetando propostas que sejam inconstitucionais ou não atendam ao interesse público.

Vice-prefeito 
O vice-prefeito é o segundo na hierarquia do Executivo municipal. Caso o prefeito precise se ausentar por motivo de viagem, licença, ou tenha o mandato cassado, quem assume as funções do titular é o vice. Enquanto o prefeito está em exercício, o vice deve auxiliar na administração, discutindo e definindo em conjunto as melhorias para o município.

Vereador 
Ao vereador cabe elaborar as leis municipais e fiscalizar a atuação do Executivo – no caso, o prefeito. São os vereadores que propõem, discutem e aprovam as leis a serem aplicadas no município. Entre essas leis, está a Lei Orçamentária Anual, que define onde deverão ser aplicados os recursos provenientes dos impostos pagos pelos munícipes. Também é dever do vereador acompanhar as ações do Executivo, verificando se estão sendo cumpridas as metas de governo e se estão sendo atendidas as normas legais e principalmente cuidar do patrimônio e dos imóveis.